Saltar os Menus

Historia

Criado pelo Decreto-Lei nº 46350, de 22 de maio de 1965*, o Arquivo Distrital de Faro só entraria em funcionamento a 16 de setembro de 1970, tendo recebido, nessa data, as primeiras incorporações que ficariam disponíveis ao público dois anos depois.

Instalado inicialmente no edifício da Junta Distrital, de quem recebia apoio financeiro, estava dependente da Direcção-Geral do Ensino Superior e das Belas Artes, do Ministério da Educação Nacional e teve como seu primeiro Diretor o Dr. Salustiano Lopes de Brito (1933-1999).

Em 1975, o arquivo mudou-se para uma residência particular em Faro, localizada no nº 12 da Rua de São Pedro, dispondo ainda de alguns depósitos noutras zonas da cidade de Faro, mas que não reuniam as condições mínimas para o fim a que se destinavam**.

Na primeira metade da década de 90, esteve instalado num edifício da Rua Ataíde de Oliveira, até que em 1996, após diligências do Instituto Português de Arquivos e da cedência de um terreno camarário, iniciou-se a construção de um edifício de raiz, onde se encontra atualmente, tendo sido inaugurado oficialmente a 25 de fevereiro de 1997.

Desde 2012, na sequência da fusão da Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas com a Direção Geral de Arquivos, funciona como unidade orgânica flexível, no âmbito da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas***.

 

 

* Decreto-Lei nº 46350, de 22 de maio de 1965: https://dre.pt/application/file/295071

** BRITO, Salustiano Lopes de. Guia do Arquivo Distrital. Faro: Arquivo Distrital de Faro, 1991.

*** Decreto-Lei nº 103/2012, de 16 de maio, define a orgânica da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas; Portaria nº 192/2012, de 19 de junho, define as competências das unidades orgânicas nucleares do novo organismo; Despacho nº 9339/2012, de 11 de julho, estabelece as respetivas unidades orgânicas flexíveis e as suas competências.

Última Actualização: 2 de Janeiro de 2018

Arquivo Distrital de Faro